terça-feira, 30 de agosto de 2016

MAIS UM TROPEÇO DE CLÉSIO SALVARO

Clésio Salvaro coloca obras de Márcio Búrigo em sua propaganda eleitoral. Vai dizer que foi erro da equipe...

Segue nota da campanha de Búrigo:

Informamos aos colegas de imprensa e ao cidadão criciumense que o candidato a prefeito Clésio Salvaro (PSDB) está agindo de má fé ao mostrar em seus programas eleitorais pela TV e nas redes sociais que as Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos bairros São Defende, Santa Luzia e Metropol que foram construídas em seu governo.

Esclarecemos que as seguintes UBS foram construídas e inauguradas no governo Márcio Búrigo.

- UBS do Metropol foi inaugurada no dia 29 de julho de 2015;

- UBS Santa Luzia foi inaugurada no dia 12 de agosto de 2015

- UBS do bairro São Defende foi inaugurada no dia 27 de agosto de 2015

Cada uma das obras recebeu investimento aproximado de R$ 1 milhão e se unem às UBS dos bairros Verdinho e Maria Céu – todas novas –, além da reforma e ampliação da UBS São Sebastião, todas obras do governo Márcio Búrigo.

Os fatos podem ser comprovados conforme mostram as imagens anexas, prints de reportagens veiculadas na imprensa na época da inauguração de cada uma delas:

Segue também anexo o print dos momentos em que Clésio usa as imagens das UBS como obras suas.








sexta-feira, 26 de agosto de 2016

OS POBRES E JESUS

O quê Jesus fez pelos pobres? Multiplicou pães e peixes uma vez. Ao menos é o que está registrado e só podemos nos basear nisso. Segue algo que está em Mateus 26:10-13:

Jesus, porém, conhecendo isto, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? pois praticou uma boa ação para comigo.
Porquanto sempre tendes convosco os pobres, mas a mim não me haveis de ter sempre.
Ora, derramando ela este ungüento sobre o meu corpo, fê-lo preparando-me para o meu sepultamento.
Em verdade vos digo que, onde quer que este evangelho for pregado em todo o mundo, também será referido o que ela fez, para memória sua.

Corrijam-me os entendidos, mas me parece que nada além dos dois episódios que mencionei. E por quê? Não posso saber. O caso está no que dizem sobre ele aos quatro ventos, dele ser seu resgate, de dar o tal do ''livramento'', vitória etc. Os crédulos nele realizam a semana da vitória intitulada "Cerco de Jericó". Um absurdo onde velhos acamados e crianças de colo foram mortas pelo Deus cristão para dar terra a um povo... Quanta estupidez!

E o Jesus maravilhoso? Basta analisar com calma os textos que falam dele na Bíblia e verão que de pobre, ou não entendia, ou não tinha interesse. E nem falo de assistencialismo, mas de atuar de fato no resgate das pessoas. Além de não ter dito nadinha contra o império que dominava sua gente, limitou-se em dizer que seu reino não era deste mundo. Fácil! Também acho que meu reino não é deste mundo e por isso terei tudo de bom na outra vida. Reinarei absoluto!

Esses crentes deveriam assumir, ao menos, o que de fato é seu Salvador. Este mesmo que disse "sempre tendes convosco os pobres", ou seja, decretou que a pobreza não terá fim. Uma clara declaração de que os tais não deveriam contar com ele.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O INFERNO TE ESPERA

Leia o texto bíblico a seguir. Depois falo do óbvio!

Dize-nos, pois, que te parece? É lícito pagar o tributo a César, ou não?
Jesus, porém, conhecendo a sua malícia, disse: Por que me experimentais, hipócritas?
Mostrai-me a moeda do tributo. E eles lhe apresentaram um dinheiro.
E ele diz-lhes: De quem é esta efígie e esta inscrição? Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. (Mateus 22:17-21)

Ao cristão Jesus não dá opções. Ou paga ou paga!

O contexto não poderia ser mais claro: IMPOSTOS. Mas há um contexto mais amplo, o da ocupação da palestina pelo Império Romano. Nada mais revoltante, no que tange a pagar tributos, do que paga-los a estrangeiro que invadiu, dominou, cerceou a liberdade, retirou das pessoas quaisquer poderes de decidirem sobre suas vidas e sua terra.

Ora, se Jesus, sendo o que dizem que é, determinou (sequer estabeleceu possibilidade) que fossem pagos impostos ao imperador ESTRANGEIRO, o quê podemos dizer de pagar a um governo eleito pelo voto direto?

No Brasil as igrejas são isentas de impostos em clara afronta ao que determina o dono da fé. Por óbvio as igrejas estão eivadas de dinheiro para burlar a Receita Federal. Você aí, lustrador de banco, de boca aberta todos os Domingos a receber lições do Espírito Santo, vai concordar com tal postura? Você deveria ser o primeiro a insurgir-se contra essa isenção.

Você é cristão e sonega? Apenas para avisá-lo: vais para o Inferno! Sim, és desobediente consciente. Nem é o caso de cometer um ou outro erro fruto do ímpeto. Serás (ou já és) condenado de forma bem clara e objetiva.

Boa viagem!

terça-feira, 16 de agosto de 2016

CARTA DE DILMA ROUSSEF AOS SENADORES

“Mensagem da presidente da República Dilma Rousseff ao Senado Federal e ao povo brasileiro

Dirijo-me à população brasileira e às Senhoras Senadoras e aos Senhores Senadores para manifestar mais uma vez meu compromisso com a democracia e com as medidas necessárias à superação do impasse político que tantos prejuízos já causou ao País.

Meu retorno à Presidência, por decisão do Senado Federal, significará a afirmação do Estado Democrático de Direito e poderá contribuir decisivamente para o surgimento de uma nova e promissora realidade política.

Minha responsabilidade é grande. Na jornada para me defender do impeachment me aproximei mais do povo, tive oportunidade de ouvir seu reconhecimento, de receber seu carinho. Ouvi também críticas duras ao meu governo, a erros que foram cometidos e a medidas e políticas que não foram adotadas. Acolho essas críticas com humildade e determinação para que possamos construir um novo caminho.

Precisamos fortalecer a democracia em nosso País e, para isto, será necessário que o Senado encerre o processo de impeachment em curso, reconhecendo, diante das provas irrefutáveis, que não houve crime de responsabilidade. Que eu sou inocente.

No presidencialismo previsto em nossa Constituição, não basta a desconfiança política para afastar um Presidente. Há que se configurar crime de responsabilidade. E está claro que não houve tal crime.

Não é legítimo, como querem os meus acusadores, afastar o chefe de Estado e de governo pelo “conjunto da obra”. Quem afasta o Presidente pelo “conjunto da obra” é o povo e, só o povo, nas eleições.

Por isso, afirmamos que, se consumado o impeachment sem crime de responsabilidade, teríamos um golpe de estado. O colégio eleitoral de 110 milhões de eleitores seria substituído, sem a devida sustentação constitucional, por um colégio eleitoral de 81 senadores. Seria um inequívoco golpe seguido de eleição indireta.

Ao invés disso, entendo que a solução para as crises política e econômica que enfrentamos passa pelo voto popular em eleições diretas. A democracia é o único caminho para a construção de um Pacto pela Unidade Nacional, o Desenvolvimento e a Justiça Social. É o único caminho para sairmos da crise.

Por isso, a importância de assumirmos um claro compromisso com o Plebiscito e pela Reforma Política.

Todos sabemos que há um impasse gerado pelo esgotamento do sistema político, seja pelo número excessivo de partidos, seja pelas práticas políticas questionáveis, a exigir uma profunda transformação nas regras vigentes.

Estou convencida da necessidade e darei meu apoio irrestrito à convocação de um Plebiscito, com o objetivo de consultar a população sobre a realização antecipada de eleições, bem como sobre a reforma política e eleitoral.

Devemos concentrar esforços para que seja realizada uma ampla e profunda reforma política, estabelecendo um novo quadro institucional que supere a fragmentação dos partidos, moralize o financiamento das campanhas eleitorais, fortaleça a fidelidade partidária e dê mais poder aos eleitores.

A restauração plena da democracia requer que a população decida qual é o melhor caminho para ampliar a governabilidade e aperfeiçoar o sistema político eleitoral brasileiro.




Devemos construir, para tanto, um amplo Pacto Nacional, baseado em eleições livres e diretas, que envolva todos os cidadãos e cidadãs brasileiros. Um Pacto que fortaleça os valores do Estado Democrático de Direito, a soberania nacional, o desenvolvimento econômico e as conquistas sociais.

Esse Pacto pela Unidade Nacional, o Desenvolvimento e a Justiça Social permitirá a pacificação do País. O desarmamento dos espíritos e o arrefecimento das paixões devem sobrepor-se a todo e qualquer sentimento de desunião.

A transição para esse novo momento democrático exige que seja aberto um amplo diálogo entre todas as forças vivas da Nação Brasileira com a clara consciência de que o que nos une é o Brasil.

Diálogo com o Congresso Nacional, para que, conjunta e responsavelmente, busquemos as melhores soluções para os problemas enfrentados pelo País.

Diálogo com a sociedade e os movimentos sociais, para que as demandas de nossa população sejam plenamente respondidas por políticas consistentes e eficazes.

As forças produtivas, empresários e trabalhadores, devem participar de forma ativa na construção de propostas para a retomada do crescimento e para a elevação da competitividade de nossa economia.

Reafirmo meu compromisso com o respeito integral à Constituição Cidadã de 1988, com destaque aos direitos e garantias individuais e coletivos que nela estão estabelecidos. Nosso lema persistirá sendo “nenhum direito a menos”.

As políticas sociais que transformaram a vida de nossa população, assegurando oportunidades para todas as pessoas e valorizando a igualdade e a diversidade deverão ser mantidas e renovadas. A riqueza e a força de nossa cultura devem ser valorizadas como elemento fundador de nossa nacionalidade.

Gerar mais e melhores empregos, fortalecer a saúde pública, ampliar o acesso e elevar a qualidade da educação, assegurar o direito à moradia e expandir a mobilidade urbana são investimentos prioritários para o Brasil.

Todas as variáveis da economia e os instrumentos da política precisam ser canalizados para o País voltar a crescer e gerar empregos.

Isso é necessário porque, desde o início do meu segundo mandato, medidas, ações e reformas necessárias para o País enfrentar a grave crise econômica foram bloqueadas e as chamadas pautas-bomba foram impostas, sob a lógica irresponsável do “quanto pior, melhor”.

Houve um esforço obsessivo para desgastar o governo, pouco importando os resultados danosos impostos à população. Podemos superar esse momento e, juntos, buscar o crescimento econômico e a estabilidade, o fortalecimento da soberania nacional e a defesa do pré-sal e de nossas riquezas naturais e minerárias.

É fundamental a continuidade da luta contra a corrupção. Este é um compromisso inegociável. Não aceitaremos qualquer pacto em favor da impunidade daqueles que, comprovadamente, e após o exercício pleno do contraditório e da ampla defesa, tenham praticado ilícitos ou atos de improbidade.

Povo brasileiro, Senadoras e Senadores, O Brasil vive um dos mais dramáticos momentos de sua história. Um momento que requer coragem e clareza de propósitos de todos nós. Um momento que não tolera omissões, enganos, ou falta de compromisso com o País.

Não devemos permitir que uma eventual ruptura da ordem democrática baseada no impeachment sem crime de responsabilidade fragilize nossa democracia, com o sacrifício dos direitos assegurados na Constituição de 1988. Unamos nossas forças e propósitos na defesa da democracia, o lado certo da História.

Tenho orgulho de ser a primeira mulher eleita presidenta do Brasil. Tenho orgulho de dizer que, nestes anos, exerci meu mandato de forma digna e honesta. Honrei os votos que recebi. Em nome desses votos e em nome de todo o povo do meu País, vou lutar com todos os instrumentos legais de que disponho para assegurar a democracia no Brasil.

A essa altura todos sabem que não cometi crime de responsabilidade, que não há razão legal para esse processo de impeachment, pois não há crime. Os atos que pratiquei foram atos legais, atos necessários, atos de governo. Atos idênticos foram executados pelos presidentes que me antecederam. Não era crime na época deles, e também não é crime agora.

Jamais se encontrará na minha vida registro de desonestidade, covardia ou traição. Ao contrário dos que deram início a este processo injusto e ilegal, não tenho contas secretas no exterior, nunca desviei um único centavo do patrimônio público para meu enriquecimento pessoal ou de terceiros e não recebi propina de ninguém.

Esse processo de impeachment é frágil, juridicamente inconsistente, um processo injusto, desencadeado contra uma pessoa honesta e inocente. O que peço às senadoras e aos senadores é que não se faça a injustiça de me condenar por um crime que não cometi. Não existe injustiça mais devastadora do que condenar um inocente.

A vida me ensinou o sentido mais profundo da esperança. Resisti ao cárcere e à tortura. Gostaria de não ter que resistir à fraude e à mais infame injustiça.

Minha esperança existe porque é também a esperança democrática do povo brasileiro, que me elegeu duas vezes Presidenta. Quem deve decidir o futuro do País é o nosso povo.

A democracia há de vencer.”

RESPOSTA DO MD AO TÉCNICO MARCOS GOTO

O Ministério da Defesa se manifestou através de nota oficial contra a fala de Marcos Goto: 
“Técnico do sargento Zanetti critica Forças Armadas: "Só pega atleta pronto"”, publicada no portal UOL, nesta segunda-feira, dia 15/08, o Ministério da Defesa informa que o trabalho de Desporto Militar da Pasta, inclui, além do Programa de Atletas de Alto Rendimento, o Programa social Forças no Esporte (Profesp).
Em parceria com os ministérios do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e do Esporte, o Profesp beneficia cerca de 21 mil crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social.  Com atuação em 89 municípios de 26 estados brasileiros, tem por objetivo democratizar o acesso à prática e à cultura do esporte, como fator de formação da cidadania e de melhoria da qualidade de vida, além de promover o desenvolvimento integral de crianças, adolescentes e jovens.
Os alunos participam de atividades esportivas educacionais e de lazer, de reforço escolar, de aulas de música, de laboratórios de informática visando à inclusão digital e de oficinas de treinamentos que orientam para diversas especialidades técnicas, facilitando o ingresso no mercado de trabalho.
O Profesp também vem revelando alguns atletas promissores, como por exemplo, o jovem Joseias Chagas, de 17 anos, que pratica corrida de fundo de atletismo. Joseias vem conquistando medalhas em competições de sua categoria e inclusive, carregou a Tocha Olímpica, símbolo do desporto mundial, na cidade de Morrinhos (GO), representando o Programa de Desporto Militar.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

SEXO COM ANIMAIS

A nota a seguir é da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana. Faltou esclarecer o caso de cães (machos) que copulam com mulheres, pois neste caso não há qualquer agressão ao animal.

Nota de Esclarecimento para Práticas Sexuais com Animais
Rio de Janeiro, 26 de julho de 2016
Na importância da realização de discussões a cerca da sexualidade, a Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH), por meio desta nota, buscará abordar um tema de difícil definição, compreensão e/ou categorização, no caso, as práticas sexuais entre humanos com animais não humanos.
Conhecida como zoofilia ou bestialidade, a referida prática compreende recorrência de desejos e/ou quaisquer comportamentos que busque atividades sexuais com animais de qualquer espécie. Apesar da existência de classificações psiquiátricas, acerca da prática, há poucas evidências em estudos sobre tais comportamentos. O que é comum nessas evidências são as manifestações desse tipo de comportamento associado a outros transtornos psiquiátricos.
No Brasil, a prática sexual entre humanos com animais não se enquadra especificamente em nenhuma norma incriminadora do código penal, no entanto há uma proteção da moral sexual se esse ato (ou outro de natureza sexual) for realizado em local público, o que pode caracterizar conduta punível de "ato obsceno" (art. 233 do código penal). Também pode ser enquadrado como crueldade ao animal, na lei que vigora desde 1941 no art. 64 da lei das contravenções penais. Sobre isso o Artigo 10º, em seu item 1. da Declaração Universal dos Direitos dos Animais, destaca que: "Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem".
A prática sexual entre humanos com animais são encontradas em diversas situações, sendo as mais recorrentes em culturas regionais (como nos casos de práticas sexuais com animais rurais) e aquelas que ultrapassam os limites meramente sexuais e se tornam ligações afetivas conjugais (como as pessoas que vivem com seus animais tal quais parceiros afetivo-amorosos).
Sem a menor dúvida, os animais contribuem significativamente para nossa sociedade, observa-se isso desde a conivência em família até mesmo em práticas terapêuticas. Entretanto, na incapacidade de compreender a intencionalidade de uma relação sexual que envolva humanos, com consequente impossibilidade de consentimento, nos leva a encarar o ato como violação. Portanto, as práticas sexuais entre humanos com animais configura uma situação de violência e, na existência da mesma, a pessoa que a pratica necessita de acompanhamento clínico por profissional especializado na área da sexualidade humana. Destaca-se também Oliveira (2013) que esclareceu:
“Os animais, tanto no contexto rural, industrial e até mesmo doméstico, também são vítimas de estupro, isto é, de um ato sexual que viola o seu corpo e o submete a experiências de dor e sofrimento a fim de com isso gerar um prazer para um ser humano. Ainda que algum animal não venha a sentir tais experiências desagradáveis e nem mesmo sofrer algum dano físico em seu corpo, tal ato não pode ser considerado tolerável, pois não há possibilidade do animal consentir ou negar tais ações em seu corpo”. (OLIVEIRA, W. F. Zoofilia é especista ou tolerável? Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2013, p.11. ISSN 2179-510X. Disponível: clique no link.
Leia ainda sobre a aprovação de pena de detenção para quem pratica zoofilia no Brasil. Acesse o site da Câmara dos Deputados: clique no link
À disposição. 
Atenciosamente, 
Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana
Gestão 2016-2017

O AMOR É...

A insistência religiosa em nos tornar algo que jamais seremos só traz conflitos. Os consultórios de psicólogos refletem isso com muita clareza. Converse com qualquer um desses profissionais e verás. Contudo, a própria História reflete muito bem a insanidade que perpassa a fé em Deus. Nesta postagem analiso um pouco do que seja um dos textos mais citados da Bíblia, como a receita para ser um total imbecil na sociedade: AME nos molde bíblicos. Segue o texto "inspirador" de 1 Coríntios 13:4-8: 
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha. 
Vou detalhar o que penso a respeito desse texto que jamais alguém vai seguir por completo, mas perturba a mente dos esforçados em serem santos, e serve para fazer músicas.

SOFREDOR
E qual razão para se pensar que ser sofredor é alguma coisa boa? Ora, sofrer é ruim e pronto. Se o amor é sofredor fica claro que nem a si mesmo ama.

BENIGNO
Crie um filho sendo sempre bom para ele e verás o monstro que criarás.

INVEJA
Sobre isso gostaria que lesse um outro texto publicado AQUI.
SOBERBA
Nada mais humano. E está no pacote. Indissociável de nossa natureza, uns mais, outros menos e pronto.

INDECÊNCIA
De que ponto de vista? A variedade cultural produz uma variedade do que seja decência. E na cultura cristã houve mudanças. A roupa das mulheres é uma delas.

INTERESSES
E alguém vai deixar seu emprego apenas para da-lo a um desempregado? Todos agimos por interesses.

IRRITAÇÃO
Puxa, só os mortos não se irritam. Incrível como podem sacralizar um livro contendo tamanha insanidade. Diriam alguns que a palavra tem um significado etc etc etc... Ora, vale o que está escrito e se a palavra não é o que diz muito mais imbecil se torna o texto.

SUSPEITA
É claro que só sobreviveremos aos golpistas de suspeitarmos. Aliás, só teremos relacionamentos saudáveis se suspeitarmos das pessoas que se aproximam e saber que somos suspeitos da mesma forma.

INJUSTIÇA
Até o mais criminoso dos criminosos vai querer justiça...

TUDO SUPORTA
Ao menos o direito de me insurgir contra aquilo que é claramente uma forma de criar um povo bovino, mansinho e que aceita tudo, eu tenho. E você também.

FALHA
Tudo falha. Basta ver o mundo e até Deus falha. Ao menos esse Deus cristão é um poço de falhas grosseiras. Este trecho da Bíblia é apenas uma das tantas.